Região das vertentes em frente às câmeras

Documentarista  registra   os  costumes  e  tradições   da cultura   regional


Marlon Bruno de Paula                    09 de abril de 2013 | De São João del Rei
  

Cena do documentário “Deus Esteja”

A luta pela
preservação das tradições que permeiam a região das Vertentes é o que tem
permitido que as identidades locais sejam consideradas patrimônio. A
documentarista Mariana Fernandes traduz sua paixão pela cultura regional em
produções audiovisuais, buscando retratar personagens e histórias dos
municípios que compõem a região das Vertentes.
O seu
primeiro trabalho, realizado em 2010, consistiu na produção de “Cine Odeon –
Memórias Sonoras”, produzido de forma caseira, com o auxilio de uma câmera
fotográfica, na cidade de São Tiago. Esse ano, depois de várias experiências e
do aprimoramento da técnica com médias metragens e um longa na cidade de
Resende Costa, a documentarista trabalha em seu novo projeto “Terra dos
Biscoitos Falantes”, aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.
O tema deste trabalho será as tradições culinárias da cidade natal de Mariana
Fernandes: São Tiago.
Foto: Reprodução

A
documentarista começou a se interessar por crítica cinematográfica e discussões
sobre a produção nacional televisiva quando ainda cursava filosofia pela
Univerdidade Federal de São João Del Rei. Em 2010, ao terminar o curso, ela
ficou indecisa, dividindo-se entre seguir carreira acadêmica ou se aventurar em
outra graduação. Mariana Fernandes optou por cursar Comunicação Social, no
intuito de fundamentar melhor os estudos na produção audiovisual. “No
curso, foquei todo o meu interesse em audiovisual e fortaleci a ideia que
sempre me acompanhou: a comunicação regional. Uni essas duas vertentes,
audiovisual e comunicação regional. A partir de estudos teóricos e discussões,
ousei, também, realizar os meus próprios vídeos documentários para contar
histórias de personagens da cultura popular regional”, diz ela.
Mariana Fernandes, além de produzir documentários, atua no
incentivo às comunidades locais a consumirem arte por meio do cinema. Através
do projeto cine-clubista, AudiovisUAI, ela procura propor um diálogo com os
moradores da cidade de São Tiago, com o auxilio das linguagens
cinematográficas, promovendo a inserção social no município. 

Documentando a Terra dos Biscoitos Falantes

Este ano a documentarista se
aventura em registrar os costumes e tradições da sua cidade natal com o projeto
“Terra dos Biscoitos Falantes”.  Segundo
Mariana, o documentário foi inspirado na fama culinária da cidade. “ São Tiago
é conhecida nacionalmente pelos biscoitos artesanais confeccionados por famílias
e gerações ao longo de um século. O nome foi escolhido pelo fato de que, na
cidade, os biscoitos ganharam a expressão “falantes” em livros e
oficinas realizadas na própria festa tradicional do Café-com-biscoito. Isso se
deve às histórias que trazem, não apenas em suas receitas e sabores, mas em
todo o processo que envolve a confeccção dos quitutes, à história da
cidade”  destaca.
Documentar a regionalidade é para Mariana Fernandes, uma
forma de dar voz às comunidades para valorização dos próprios costumes.
“Retratar a cultura regional é uma forma de reafirmar a identidade dos povos e
dos hábitos e costumes da nossa região, rica em artesanato, culinária, história
e muitas outras atividades que deveríamos considerar como patrimônios.
Colocá-los como personagens das suas próprias histórias nos filmes é uma
maneira de valorizar e incentivar a continuidade das tradições”, frisa a
documentarista.

Deixe uma resposta