São João del-Rei sobe no ranking de ICMs Cultural

Aumento do índice garante repasse de recursos para preservação do patrimônio cultural da cidade 

Cidade dos sinos subiu no ranking do ICMs Cultural
Cidade dos sinos subiu no ranking de ICMs Cultural

O ano de 2015 trouxe boas novas para o Imposto sobre a Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMs) do Patrimônio Cultural de São João del-Rei: a cidade alcançou a marca de 14,90 pontos na classificação final, pontuação que vale para o exercício do ano de 2016.

Essa marca veio após um declínio, já que, em 2013, São João del-Rei atingiu o índice de 30,70 pontos alcançando o 4º lugar no Estado e, no ano seguinte, a cidade cravou somente 2 pontos.

Os recursos destinados pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA/MG) terão mais uma exigência: deverão ser investidos na preservação do patrimônio cultural. Cumprindo esta exigência, o secretário de Cultura e Turismo, Pedro Leão, afirma que os planos para o repasse de recurso financeiro já estão traçados:

“Este ano nós vamos reinvestir esse recurso na educação patrimonial e também nos equipamentos, obra de restauro e requalificação dos nossos edifícios tombados”, explica o secretário.

De acordo com Andressa Ferreira, Coordenadora de Gestão do Teatro Municipal, algumas intervenções serão no próprio Teatro:

“Os primeiros investimentos serão destinados ao coreto que, atualmente, se encontra interditado devido à instabilidade estrutural da edificação, a reforma e restauro de um casarão situado na Rua Getúlio Vargas e na elaboração do Projeto de Prevenção e Combate a Incêndio do Teatro Municipal, além de pequenas reformas no mesmo”.

Para Rafael Gomes, estudante de História da Universidade Federal de São João del-Rei, a história vai além dos materiais físicos:

“Quando pensamos na restauração de documentos, edifícios, monumentos ou qualquer outra fonte histórica, não estamos falando apenas da restauração material de determinado objeto, estamos pensando também nas bases que nos permitem interpretar a história de grupos sociais” afirma. Ele ainda ressaltou que o investimento aplicado na cidade movimenta ainda mais o turismo e, consequentemente, a economia.

“Além dos outros fatores, há a importância econômica da manutenção do patrimônio. É inegável a participação do seguimento turístico na economia de São João del-Rei. A restauração de nosso patrimônio físico e a manutenção de nosso patrimônio cultural possui, além da dimensão puramente social, um viés econômico que não podemos deixar em segundo plano”, disse.

A estudante de Arquitetura também da UFSJ, Marina Ribeiro, destacou a importância de se manter as características de cada época: “A restauração é o único meio que temos de preservar o estilo arquitetônico passado, que carrega consigo as características históricas e sócio-espaciais de cada época”.

TEXTO/VAN: ANA LUIZA FONSECA E RAFAELA DOMINGUETI

FOTO: GURI ESTRADEIRO/DIVULGAÇÃO

Deixe uma resposta