Sarau destaca o papel das artes na escola

“O Sarau mostra tudo
de bom que o aluno tem”, relata Bernadete Miranda, professora de matemática e
uma das organizadoras do evento. Os alunos da E. E. Sara Kubitschek, de Carrancas/MG,
realizaram recentemente o 4° Sarau da escola com apresentações culturais.
Organizado há quatro anos, com diversas atrações, o tema escolhido deste ano
foi “Sete Artes: música, cinema, dança
literatura, escultura, pintura e teatro”
. Com o apoio da escola, os
próprios alunos foram criando e aprendendo sobre os artistas homenageados:
Dorival Caymmi, Monteiro Lobato e Aleijadinho.
A idéia inicial de levar o evento para a escola veio dos
filhos da professora Bernadete Miranda:
–  “Meus filhos
estudavam em uma escola de Lavras e me deram a ideia de trazer o Sarau para
Carrancas”.
Com tantas atrações, não foi difícil encontrar talentos na
escola. Em depoimento, Maria Seleste, também professora de história e
organizadora, relata:
– “Desde que estou aqui, venho descobrindo talentos na
escola e vejo como é essencial dar oportunidades aos alunos”.
Os próprios estudantes contaram como foi a experiência de
trabalharem juntos nas apresentações para os pais e a comunidade. “O trabalho
em equipe foi muito importante para que o projeto saísse desse jeito, valeu
muito a pena!”, conta Jéssica Martes (17). “A gente acaba
saindo da rotina e com os pais vindo aqui, não só para ouvir reclamação de nós
alunos, cria um convívio melhor com a escola”, acrescenta o aluno Jhonata
Castorino (18). “Acho muito interessante, porque como estamos todos no último
ano, traz todo mundo para a escola, dá um sentimento de união. Vai ficar uma
boa lembrança. Quando estivermos mais velhos, vamos olhar para trás e ver tudo
que fizemos aqui; isso é o que mais importa”, afirma o aluno Gabriel Garcia
(17).
Dentre as apresentações – desde o Sítio do Pica-Pau Amarelo,
o saudoso Charlie Chaplin, as músicas de raiz, a dança do ventre, hip-hop e o
samba – o que mais emocionou os pais foi o musical “Tempos Modernos”, pois
tratou da velocidade do tempo que passa e que, muitas vezes, as pessoas não se
dão conta. Marveli Pereira conta como foi ver a filha no palco dançando e
cantando:
– “Foi uma sensação maravilhosa! Ela estava muito ansiosa;
fiquei feliz de ver que deu tudo certo. Acho que o trabalho em equipe foi o
mais importante; tudo isso serviu para juntar as duas turmas e acabar um pouco
com a rivalidade. Apoio a iniciativa do evento. Coisas como essas, exploram a
criatividade dos alunos e despertam a vontade de aprender coisas novas”.
Ainda na sexta-feira, os alunos se apresentaram para toda a
comunidade e demais alunos da escola. 
Texto: VAN/ Andreza de Cácia
Foto: Andreza de Cácia 

Deixe uma resposta