Tradicional incenação acontecendo em frente a igreja das Mercês. Foto- Victor Zanola

Sexta-feira da paixão: Momento tristeza e recolhimento pela crucificação e morte de Jesus

O dia é marcado pelo descimento da cruz e pela procissão do enterro

Tradicional incenação acontecendo em frente a igreja das Mercês. Foto- Victor Zanola
Tradicional encenação acontecendo em frente a igreja das Mercês. Foto- Victor Zanola

A sexta-feira da paixão é um dos momentos mais marcantes da Semana Santa, pois simboliza a morte de Jesus Cristo. A celebração antecede o domingo de páscoa, e São João Del Rei foi uma cidade que se destacou devido a tradição e maestria da cerimônia. O sermão do descimento da cruz teve início na escadaria da Igreja da Mercês. Conduzido pelo Arcebispo emérito de Diamantina Dom João Bosco Óliver de Faria e contando com a presença de centenas de pessoas marcadas pela fé.

 

Ao dar início a cerimônia, o arcebispo enfatizou: “Queridos irmãos nós não estamos aqui para contemplar um espetáculo, estamos aqui porque cada um de nós quer ser o anjo consolador de Jesus.” E seguiu fazendo uma breve análise sobre o Santo Sudário e descrevendo os dois tipos de flagelação Romana. Uma em que se batia no ventre do condenado até que suas vísceras caíssem no chão e outra, a que Jesus sofreu, em que o condenado apanhava e era torturado até suportar pois devia sair vivo. Nesta havia a hora certa de parar para que não terminasse em uma síncope cardíaca, mas a perda de sangue era inevitável e por isso Jesus cai três vezes ao percorrer os 500 metros até o calvário. Após o sermão aconteceu a representação de descimento da cruz e em seguida a procissão do enterro que percorreu algumas ruas da cidade e terminou na Catedral.

 

Acompanhar as celebrações de semana santa é tradição de muitos moradores da cidade, como o aposentado Geraldo Maurício da Silva, que participa desde que tinha 10 anos. Segundo ele, tudo começou por influência dos pais, mas hoje esse é um momento emocionante e de grande importância para ele. Já para quem está longe de São João del-Rei acompanhar as celebrações na cidade pode ser a realização de um sonho. É o caso da Dirigente Regional de Ensino Gicele de Paiva Giudice, que vive em Pindamonhangaba – São Paulo e sempre quis que sua mãe, que possui uma ligação forte com o catolicismo, presenciasse uma celebração tradicional de semana santa. Ela ficou impressionada não apenas com as cerimonias, momentos de reflexão e altares do local, mas também com o envolvimento e o respeito de quem participa.

 

Ao falar sobre as celebrações de semana santa na cidade Dom Waldemar Chaves de Araújo, Bispo Emérito de São João del-Rei, chama atenção para participação das bandas de músicas, do coral e da orquestra. São elementos que contribuem não apenas com a música religiosa orgânica mas também com a música Gregoriana que ajudam os fiéis na meditação e reflexão do evangelho e das diversas celebrações da semana santa. Ele comenta também sobre os períodos de recolhimento em que a igreja católica aconselha aos fiéis jejum e abstinência, um deles é na sexta-feira da paixão: “É um sacrifício que a gente aconselha os fiéis a fazer, não só para reparar os pecados das vidas passadas mas também os pecados da vida atual”

Sermão da sexta-feira da paixão reuni milhares de pessoas no centro histórico de São João del Rei. Foto- Victor Zanola
Sermão da sexta-feira da paixão reúne milhares de pessoas no centro histórico de São João del Rei. Foto- Victor Zanola

A programação da semana santa em São João Del Rei se estende com o Sábado Santo e o Domingo da Ressurreição, confira a programação completa.

Texto/VAN: Scarlet Freitas

Deixe uma resposta