Ensaios

Simpósio de Artes tecendo Conexões

Evento foi marcado por ampla programação com foco na transdisciplinaridade

 

Alemanha, Portugal e Colômbia, são exemplos dos países que estiveram presentes no 1° Simpósio de Artes, Urbanidades e Sustentabilidade da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Conferencistas, artistas, professores e estudantes estiveram reunidos em um evento com ampla programação que iniciou oficialmente no último domingo, 22, e encerrou na sexta-feira, 27. Nomes consagrados nacional e internacionalmente na área do ensino, como os pesquisadores, Dr. Sacha Kagan, Dr. Luiz Belivacqua e Dr. Jônatas Manzolli, estiveram presente e deixaram suas contribuições.

 Aproximadamente 150 artigos nos mais variados ramos do conhecimento foram apresentados, em maioria relacionados à Arte Popular, Políticas Públicas e ao design. A professora de mestrado e integrante do Comitê Científico do Encontro, Luciana Beatriz Chagas, ressalta que o Simpósio de uma forma geral foi extremamente importante para a discussão sobre a interdisciplinaridade no âmbito acadêmico. “Em todos os grupos de trabalho e nas mesas de apresentação, conseguimos fazer pontes muito interessantes em abordagens aparentemente diferentes. É um exercício de tecer conexões”, conclui a docente.  Luciana ainda destaca que a participação de alunos e voluntários foi fundamental para o êxito do evento.

 O Centro Cultural, também conhecido como Solar da Baronesa, foi palco de apresentações musicais e uma exposição coletiva. A mostra com curadoria de Adilson Siqueira, Luciana Chagas e Zandra Miranda, teve sua abertura na quarta-feira, 25, e reuniu diversas vertentes artísticas, incluindo fotografias, poemas, vídeos e pinturas. A mostra segue aberta à visitação até o dia 5 de novembro. O espaço está aberto ao público diariamente, de 8h às 20h, inclusive nos finais de semana e feriados.

 O Simpósio contou ainda com uma série de vivências, sendo uma delas, a intitulada “Olhares (Im)possíveis”, que foi ministrada por Arthur Araújo e Raquel Salazar. A atividade aconteceu entre a manhã do último domingo, 22 e teve encerramento na quarta-feira, dia 24. A proposta contemplava as experiências e relações afetivas dentro dos espaços da cidade, utilizando como dispositivo principal a produção de um audiovisual denominado “Pode passar”, que foi gravado nas ruas são-joanenses, e exibido durante a Exposição Coletiva no Solar.

 O Evento foi promovido pelo Programa Interdepartamental de Pós-Graduação Interdisciplinar em Artes, Urbanidades e Sustentabilidade (PIPAUS), mestrado acadêmico interdisciplinar resultado de um processo coletivo iniciado em 2013 na instituição.

 

Texto/VAN: Thais Andressa e Agnes Monteiro
Fotos/VAN: Thais Andressa

Deixe uma resposta