Imagem retirada de www.estagiojovemaprendiz.com.br

Sua primeira experiência

Para conquistar a independência financeira, jovens buscam oportunidades de trabalho

Imagem retirada de www.estagiojovemaprendiz.com.br
Imagem retirada de www.estagiojovemaprendiz.com.br

Primeiro emprego, cursos profissionalizantes e chances de estágio são oportunidades  e um passo inicial para que os jovens ingressem mais cedo no mercado de trabalho e adquiram experiência profissional. Para que isso aconteça, programas de Aprendizagem Comercial, como o Jovem Aprendiz, oferecido pelo Senac; e os de Aprendizagem Industrial, oferecidos pelo Senai, permitem o ingresso de adolescentes no mercado de trabalho por meio da parceria entre instituições de ensino profissionalizante e empresas públicas e privadas.

Segundo dados cedidos pela Assessoria de Comunicação do Senac, até o momento, 9.724 alunos foram atendidos pelo programa em Minas Gerais. Em 2015, foram 13.339 beneficiados. Em São João del-Rei, já foram ofertadas 95 vagas este ano, número superior ao total de 2015, quando 65 oportunidades foram geradas.

Imagem retirada de www.cursosgratuitossenac.net
Imagem retirada de www.cursosgratuitossenac.net

De acordo com a analista de Educação do Senac em Minas, Renata Faria, os jovens que buscam programas de aprendizagem profissional, como os do Senac, têm mais chance de conquistarem a independência financeira. “Essa experiência proporciona ao aprendiz um certificado de qualificação profissional e uma ampla possibilidade de inserção no mercado”, comenta.

 

Como ser um jovem aprendiz?

 

O programa Jovem Aprendiz disponibiliza oportunidades de empregos para capacitar pessoas com idade entre 14 e 24 anos que se interessam em iniciar e se manter no mercado de trabalho. São três cursos oferecidos na modalidade aprendizagem profissional comercial: Serviços administrativos, Serviços de vendas e Serviços de supermercados. Para participar é muito fácil, basta cadastrar o currículo no  site da instituição ou entregar na sede do Senac em sua cidade.

Larissa Nogueira, de 20 anos, se interessou por participar do programa no 2º ano do Ensino Médio, ainda com 17 anos. Ela escolheu cursar Serviços administrativos, o que possibilitou um contrato com a Viação Presidente. Por mais de um ano, Larissa trabalhou meio período na empresa. Hoje, sua jornada de trabalho foi ampliada para o período integral.

A jovem aprendiz afirma estar satisfeita com o resultado: a experiência a fez crescer muito e adquirir sua independência financeira. Além disso, ela se considera mais madura para lidar profissionalmente com diversas questões. Para Larissa, a razão maior para que jovens busquem o mercado de trabalho é a autonomia financeira que um emprego pode render.

Imagem retirada em www.fiemg.com.br
Imagem retirada em www.fiemg.com.br

Já os cursos oferecidos pelo Senai englobam diversas áreas da indústria. Não há limitação de idade e duram, em média, um ano e meio. Ainda assim, os jovens dominam as salas dos cursos, que vão desde Alvenaria, Elétrica, Logística a Confeitaria e Administração. Mateus Sottani se matriculou após ter passado na avaliação técnica em 2013, quando ainda cursava o 2º ano do ensino médio. Ele fez uma prova para a seleção e esteve ativo no curso durante um ano com uma bolsa. Após esse período, foi contemplado com um estágio patrocinado pela Santa Casa da Misericórdia.

Mateus acredita que os jovens que procuram essas atividades também desejam encontrar uma carreira para seguir ou uma remuneração para se tornarem independentes. Para ele, por exemplo, a chance de estágio proporcionou experiência profissional e humana: “eu convivia diretamente com pessoas em seu estado mais frágil”, lembra. Além disso, contribuiu para que buscasse cada vez mais conhecimento e não parasse de estudar. “Percebi que poderia ir mais longe do que já tinha chegado”, conta.

Mateus não pôde continuar o estágio porque ingressou na Universidade Federal de Lavras, no curso de Engenharia de Materiais. Para essa decisão, seu período de profissionalização no curso de administração foi essencial. “Eu estava procurando alguma atividade que pudesse me mostrar possíveis caminhos para seguir no futuro e, ao mesmo tempo, precisava de uma fonte de renda para ajudar com as minhas contas e as de casa”, avalia.

Assim como para Mateus e Larissa, essas oportunidades estão ao alcance de todos os jovens que procuram crescer e adquirir reconhecimento no mercado de trabalho. Se você está interessado, acesse os sites do Senai e do Senac e tire suas dúvidas.

TEXTO/VAN: Clara Rita

Deixe uma resposta