Desemprego é o maior em São João del – Rei desde 2009

Segundo dados do Ministério do Trabalho, 212 postos de trabalho deixaram de existir na cidade São João del – Rei, durante o período de janeiro a junho deste ano. A variação negativa de 1,3% refere-se ao emprego formal e é a menor verificada desde o ano da crise de 2009. 

São João del – Rei acompanha uma tendência nacional quanto à queda de empregos. Segundo dados do IBGE, a taxa de desemprego no país no mês de junho foi de 6%, a maior desde abril de 2012. Essa taxa é medida mensalmente apenas em algumas metrópoles brasileiras e inclui o emprego formal e informal. O último dado equivalente na cidade é do Censo Demográfico, feito pelo IBGE em 2010, em que foi verificada uma taxa de 6,4% de desocupação.
De acordo com o Prof. Aluizio Barros, doutor em economia pela Universidade do Rio de Janeiro,  apesar de ser uma tendência nacional, o fenômeno também é causado por características internas da cidade de São João del – Rei. Segundo ele, o setor metalúrgico da cidade é essencialmente voltado para a exportação e, por isso, sofreu fortemente as consequências da crise mundial que se arrasta desde o ano de 2009.
Uma das maiores dificuldades para o preenchimento das vagas existentes é a falta de qualificação, aponta o Gerente de Operações da filial são-joanense da Magazine Luiza, Luiz Carlos Filho. A empresa possui um sistema online de cadastro de currículos dos interessados, mas a falta dos pré-requisitos básicos, como 2º grau completo e noções de informática, ainda é um problema enfrentado na hora da contratação.
Devido às dificuldades encontradas para se conseguir um emprego, muitos recorrem aos trabalhos informais, os chamados “bicos”. Rhuan Augusto da Silva, 22, está desempregado há quase dois anos e vem encontrando dificuldade para conseguir uma vaga desde então. O jovem, que costumava trabalhar como Assistente Administrativo, cogita prestar um concurso público nos próximos meses. “A maioria dos jovens daqui está procurando esse meio de estabilidade financeira”, afirma Rhuan.
Em pesquisa realizada pela Vertentes Agência de Notícias (VAN) com alunos da Universidade Federal de São João del-Rei, 33% dos entrevistados responderam estarem trabalhando no mercado informal, por não conseguirem encontrar um emprego.

VAN/ Delcimar Ribeiro, Luana Levenhagen e Stella Sampaio.
Foto: Luana Levenhagen

Deixe uma resposta