Tchá Tchá do Calçadão

Poucos sabem quem é Abdul Aziz Nazarali Waljihirji. Sua loja é localizada no Calçadão Sebastião Sete, no centro da cidade de São João del-Rei. Todos o conhecem como Tchá Tchá, famoso e agradável comerciante muçulmano. Em 1971, deixou a Tanzânia, na África, e decidiu vir para o Brasil morar com seu irmão que era solteiro.

Antes de se fixar em São João del-Rei, Tchá Tchá trabalhou como vendedor ambulante em várias cidades, entre elas: Tiradentes, Ritápolis, Resende Costa e Prados. Nessa época surgiu o seu apelido, pois para vender seus produtos ele gritava: “Oh mame, tchá tchá tá aí?”, que segundo ele a frase significa: “Oh mamãe o tio está aí?”. Quando questionado sobre suas maiores dificuldades enfrentadas na adaptação ao país, ele ressaltou a maneira de falar – que aprendeu com seus clientes durante suas vendas – e a culinária brasileira, que é bem diferente da africana.

Sua loja é conhecida por “vender de tudo”, como roupas, batons, brincos, meias, cortadores de unha e outros. Os produtos mais vendidos são cadarço e tiras de chinelo. Ele trabalha sozinho, o que facilita um bom relacionamento com seus clientes, porém destaca: “Às vezes fico nervoso com os clientes, mas depois peço perdão!”. Em clima de descontração, explica que o nervosismo está relacionado à sua idade e que os clientes tem mania de “ver com a mão”, o que pode acabar estragando seus produtos.

Tchá Tchá também é famoso por seus dotes culinários. Tamires, estudante de Artes Aplicadas na UFSJ e vendedora no calçadão, diz que todos os anos, no inverno, ele faz uma sopa chamada “Trombadeira”, com cerca de 15 temperos. “Nos dias em que ele não aparece na loja, o lugar fica muito quieto, muito calado”, completa a estudante.

Já Denise, que possui uma lanchonete próxima ao local há um ano e três meses, conhece Tchá Tchá há muito tempo. “Ele é uma figura muito conhecida em São João del- Rei”, diz ela, e o descreve como uma pessoa sempre alegre, prestativa e carismática. “Ele tem esse jeito único, e traz a cultura dele pra dentro da cidade”, comenta.

Durante toda a entrevista, Tchá Tchá recebia seus clientes com bastante alegria e intimidade. Quando questionado sobre sua volta para seu país de origem, ele diz: “O Brasil é o paraíso! Quero morrer aqui e agora!”.

Texto: VAN/Tamara Assis e Iara Furtado
Foto: Tamara Assis

Deixe uma resposta