Terminal Rodoviário aguarda o ponto de partida para funcionamento

Concluído em agosto de 2010, o Terminal Rodoviário, localizado na região central de Lagoa Dourada, permanece inutilizado. Diante do impasse, a Prefeitura Municipal declarou que a obra embargada pelo DETRAN ocorreu devido à falta de estrutura nas estradas de rodagem dos veículos.

Atualmente, além dos desgastes acarretados pelo tempo, a obra sofre pichações e depredações. Prefeito desde 2008, Antônio Carlos Chaves de Resende, mais conhecido como Antônio Mangá, esclareceu que apesar de dificuldades encontradas para contratar profissionais de obra, iniciou-se o calçamento da estrada de acesso ao terminal no dia 26 de junho. O Terminal, a princípio, contará com apenas uma entrada e saída dos veículos no loteamento particular finalizado no início do ano. Mangá afirma que “a obra irá funcionar, principalmente, no quesito de organização e segurança para os usuários do próprio município.”

A obra teve seu projeto aprovado em agosto de 2007, dando início a execução em meados do ano seguinte pela Consill – Construtora Irmãos Lara LTDA. Foram gastos aproximadamente 215 mil reais até sua conclusão em agosto de 2010, já na nova gestão. O Engenheiro da atual gestão, responsável pela obra, Adriano Barreto Pinto, explica por que a rodoviária não foi inaugurada. ”O problema que paralisou a inauguração se deu pela necessidade de adequações, como calçamento das rodovias, entrada e saída para veículos, falta de eletricidade e depredações decorrentes da falta de segurança em torno da obra.”

A moradora do povoado Bela Vista, Joice Aparecida de Paula (26), usuária diária do transporte, evidencia os problemas diante da falta da rodoviária. ”A maior falta que um terminal rodoviário faz é a garantia de vagas aos passageiros que não tem outra escolha a não ser comprar sua passagem no momento do embarque e dessa forma, o número de vagas são escassas.”.  Outra usuária Crislaine Viviane da Rocha (19) conta como o terminal ajudaria os cidadãos de Lagoa Dourada. “A estrutura também seria eficaz para garantir segurança aos passageiros principalmente no embarque, na qual a maioria aguarda o transporte em rodovias movimentadas”. Porém, ambas apontam como desvantagem o aumento nos preços da passagem devido às taxas rodoviárias.

O proprietário há pouco mais de um ano da empresa ML Informática, localizada em frente à parada de ônibus da BR 383, que corta a região central de Lagoa Dourada, Maxsuel Leonardo de Resende (23), declarou, dentre as desvantagens da localização de seu comércio, a espera dos passageiros na fachada da loja, já no momento de embarque e desembarque dos veículos, a insegurança e a falta de visão de pessoas no exterior para o estabelecimento. Contudo, segundo Maxsuel,  as vantagens dessa ligação direta com os passageiros está no valor econômico, tanto em vendas de peças e acessórios, quanto no uso dos computadores enquanto aguardam pela condução. Apesar de admitir uma mudança no fluxo desses clientes quando a rodoviária começar a funcionar, o comerciante não acredita que iria gerar um aumento tão significativo nas vendas.

Texto: VAN/ Ana Carolina Resende
Foto: Ana Carolina Resende

Deixe uma resposta