Tiradentes em Cena proporciona ação nas escolas da cidade

Apresentação do espetáculo Cata Riso

Entre os dias 11 e 18 de maio, aconteceu, na cidade histórica de Tiradentes, a 1ª Edição da mostra de teatro “Tiradentes em Cena”. Com diversas apresentações da população local e de artistas famosos, a mostra teve significado especial ao levar para os alunos da cidade a possibilidade de encontro cultural e experiências artísticas.

O evento foi idealizado pela jornalista Aline Garcia, que tinha como objetivo disseminar e proporcionar uma democratização da arte. Essa proposta teve ação direta nas Escolas Marília de Dirceu e Basílio da Gama, da cidade de Tiradentes, além das apresentações de teatros e peças para adultos e crianças nas praças.

De acordo com a supervisora da Escola Municipal Marília de Dirceu, Samaritana Araújo, este foi um evento que incentivou amplamente a participação das crianças e escolas e, sobretudo, favoreceu o processo de construção cultural das crianças. Além de ter proporcionado à elas a liberdade de desenvolver seu lado artístico.

“Tem crianças na nossa escola que têm facilidade para apresentação, para escrita, então, se elas souberem que têm esse incentivo, mais prazeroso e interessante vai ficar para elas. Muitos fazem poesia, rap, história em quadrinho. Então, quando a gente tem um dom artístico, se a gente sabe que, lá na frente, vai ser valorizado, vai ter uma abertura para trabalhar isso, mais vai despertando a criatividade, o interesse. Ainda mais se a cidade dá suporte para trabalhar isso”, afirma a educadora.

Um dos espetáculos destacado pelos alunos do Marília de Dirceu foi “Marionetes a fio”, da Companhia de Inventos. O espetáculo buscou explorar temas do dia-a-dia de forma cômica, com a utilização de marionetes confeccionadas com sucata. Samaritana afirmou que as crianças adoraram e que a atividade conseguiu despertar a atenção e a curiosidade do início ao fim.

Segundo Inês Nascimento, 11 anos, é difícil decidir qual foi sua atração preferida. “Ah, eu gostei de tudo, não consigo escolher, gostei dos bonequinhos dançando. Foi muito legal”, conta.

A escola parece estar repleto de novos talentos. Antônio Soriano e Luiz Henrique Santana, 10 anos, já estão inseridos na arte. O primeiro constrói raps e apresenta para os colegas nos eventos da escola; já Luiz Herinque Santana faz parte do grupo de Teatro Entre & Vista, que, há 20 anos, contribui para o desenvolvimento artístico-cultural de Tiradentes. “Eu gosto de desenhar, fazer poesia, apresentar peças. É muito bom”, afirma o menino.

Integrantes do Atelier Arte Pela Terra

O evento contou também com a presença de diversos grupos locais, dentre eles, o Ateliê Arte pela Terra, projeto da arte-educadora Patrícia Martins. O Ateliê apresentou o espetáculo “Cata Riso” que, com muito humor, desempenhou a função de “limpar” a cidade, com a ajuda da personagem Lindona.

De forma divertida e elegante, o grupo vai realizando a coleta seletiva da cidade e sugerindo que adultos e crianças criem hábitos mais responsáveis. E avisa também que tudo isso pode ser feito de forma divertida e com muita arte.

Para Patrícia, a arte levada aos ambientes educacionais proporciona uma ampliação no horizonte das crianças, dos jovens e educadores. “Todas as pessoas deveriam ter algum contato com as artes, pois, através delas, aprendemos coisas importantes que não estão presentes na educação formal, como, por exemplo, o desenvolvimento da imaginação, da criatividade e do senso estético”.

A educadora afirma ainda que o objetivo do evento foi alcançado com êxito. “O que nós esperamos são os aplausos, os sorrisos e que deixemos no coração das crianças o exemplo de que cuidar do meio ambiente pode ser algo divertido e prazeroso. Os aplausos e risadas nós conseguimos, e espero que as sementes nos corações possam germinar e dar frutos”, afirmou Patrícia.

VAN/Mayra Coimbra, Sarah Rios
Foto: Reprodução

Deixe uma resposta