Tratamentos alternativos ganham espaço em São João del-Rei

As práticas em medicina alternativa estão cada vez mais populares. Já é normal para algumas pessoas recorrerem a esses tipos de tratamento ao invés da medicina moderna convencional. Aqui em São João del Rei, pode-se encontrar um leque variado de fontes alternativas de cura, mas apesar de toda essa popularização nos dias atuais, deve-se ressaltar que a história da medicina alternativa surgiu muito tempo atrás, com Hipócrates, no ano 460 a.C. 

Dentre as diversas alternativas existentes, as mais conhecidas são a Acupuntura, a Fitoterapia, a Homeopatia, o Reiki, a Terapia do riso e a Urinoterapia. Sergio Braga Palheiros, Mestre Terapeuta Reiki da cidade de São João del Rei, fala sobre a atividade, cujo tratamento começa com uma avaliação do seu cliente através de perguntas sobre sua queixa principal, sintomas, estado emocional e histórico das possíveis causas do problema a ser trabalhado. Após isto, o paciente é levado à maca, onde deve permanecer deitado. Um terapeuta treinado tem capacidade para perceber onde existem desequilíbrios energéticos, através da passagem das mãos a alguns centímetros do corpo do paciente até o toque suave em outros pontos.

Durante esta imposição de mãos, a pessoa atendida percebe uma série de sensações em seu corpo, que vai variar entre pressão, um calor mais ou menos intenso, emoções que são despertas, lembranças e estados interiores. A grande maioria dos pacientes sente forte calor, pressão e estados emocionais de paz, serenidade, alegria ou a manifestação de algum sentimento forte ligado à questão trabalhada.

Outro exemplo de atividade que podemos encontrar em São João del-Rei é a ação voluntária do grupo “Doutores Por um Triz”. Esse grupo é composto por jovens que se voluntariam para visitas agendadas às instituições da cidade, nas quais se vestem como palhaços para tentar “arrancar o riso” dos pacientes que visitam. Tal método é recorrente na Terapia do Riso (ou Risoterapia). 

Esta terapia é milenar na porção oriental do planeta, porém muito recente no Ocidente. Nos anos 60, houve o registro da recuperação de um paciente afetado por uma grave enfermidade degenerativa, o norte-americano Norman Cousin, que na época se submetia à prática da Terapia do Riso. O homeopata e clínico geral Eduardo Lambert, autor da obra Terapia do Riso – A Cura pela Alegria, publicado pela Editora Pensamento, acredita que a risada pode atuar como um complemento na conquista do bem estar físico e psíquico do ser humano, seja qual for a doença que o afete. É comum ouvir o relato de pacientes com câncer, por exemplo, que, ao encarar com bom-humor e fé a enfermidade, conquistam mais rapidamente a cura, até mesmo nos casos mais graves.

Segundo Isabella Bassi, uma das inúmeras pessoas que passaram pelo grupo são joanense “Doutores Por Um Triz”, a risoterapia aliada aos tratamentos convencionais tem uma porcentagem muito grande de eficácia. Para ela, o riso é a melhor maneira de driblar todos os problemas do ser humano. Em suas palavras, “o riso permite extravasar, permite se colocar em uma outra situação e parar de tanta auto piedade. Sorrir é o melhor remédio em todas as circunstâncias. O riso te permite naquele instante ser feliz e não estar doente”.

Texto: VAN/Artur Caldas

Deixe uma resposta