Durante o evento, as pessoas puderam conhecer mais sobre o cultivo das Orquídeas. FOTO/VAN: Graziela Silva

VI Exposição Nacional de Orquídeas traz diversidade de espécies a Tiradentes

Iniciativa do Núcleo Orquidófilo Serra de São José incentiva o amor ao aprendizado sobre orquídeas

Durante o evento, as pessoas puderam conhecer mais sobre o cultivo das Orquídeas. FOTO/VAN: Graziela Silva
Durante o evento, as pessoas puderam conhecer mais sobre o cultivo das Orquídeas. FOTO/VAN: Graziela Silva

A Escola Basílio da Gama, em Tiradentes, foi palco da VI Exposição Nacional de Orquídeas, durante os dias 22 a 24 de Abril. Os visitantes conferiram de perto uma diversidade de espécies, inclusive estrangeiras e raras, que também podiam ser adquiridas. Além da comercialização, a iniciativa do Núcleo Orquidófilo Serra de São José pretende atrair amantes de orquídeas, com o intuito de propor diálogos acerca do modo de cultivo e cuidado com as plantas e encontrar novos membros para a associação.

A turista Ana Coimbra, de Belo Horizonte, esteve pela primeira vez na exposição. Ela, em média tem oito orquídeas, e se surpreendeu com a iniciativa. “Não entendo nada teórico sobre elas, e queria aprender mais. Esse evento, além da apreciação, ajuda a difundir conhecimento sobre o cultivo, aumentando a vontade de ter plantas como essas. Fico feliz, porque além das raras, vejo, aqui, flores nativas, que conheço das minhas caminhadas à Serra”, conta.

Em poucos casos se encontrou utilidade comercial para as orquídeas, além do uso ornamental. Uma delas é a produção de baunilha a partir da espécie denominada Vanilla. O vendedor de Juiz de Fora, João Rodrigues Santos, vê nas exposições duas oportunidades: “para nós, de exibirmos nossas plantas, e das pessoas, de conhecer e adquirir. Já trabalho nisso há 16 anos, e vejo esse comércio bem promissor, mas ainda tem a crescer. Muita gente não conhece a Orquidofilia”, argumenta.

A exposição traz como novidade um número diversificado de plantas raras, em média, 800 a 1000 unidades, sem levantamento oficial. A localização, numa escola pública central, facilita a visibilidade do evento. Luiz Fernando acredita que “o interesse pela orquídea é puro hobby, é gostar da planta. A pessoa quando entende, começa a ver a beleza, porque é tudo como um ser humano, a gestação da semente em nove meses. A gente fica apaixonado!”, diz.

A exposição teve abertura oficial na última sexta-feira, 22, em que além da fala dos responsáveis, aconteceu a premiação de três alunos que participaram de um concurso de textos sobre orquídeas. Logo após, houve o início da visitação pública gratuita, que aconteceu até ontem, 24, às 16h.

O sábado foi marcado com a transmissão de conhecimentos acerca do cultivo e do plantio de orquídeas através de uma oficina e da palestra de Luiz Cruz, pesquisador da Serra de São José. A premiação das melhores plantas encerrou o evento.

 

Núcleo Orquidófilo Serra de São José

As orquídeas são plantas pertencentes à família Orchidaceae, uma das maiores no Reino Vegetal. Uma grande variedade delas cresce nos troncos das árvores, usando-as como apoio para buscar luz. De diversos formatos, cores e tamanhos, as orquídeas estão em todos os continentes, principalmente em áreas tropicais, como o Brasil. O que mais atrai a atenção de seus admiradores é o formato especial de suas flores. Assim, os colecionadores se reúnem em associações orquidófilas para a difusão do interesse por essas plantas através de palestras e exposições periódicas.

FOTO/VAN: Graziela Silva
FOTO/VAN: Graziela Silva

Na Região do Campo das Vertentes, o Núcleo Orquidófilo Serra de São José, responsável pelo evento, se enquadra nesse estilo. Com a participação de cinco cidades (Tiradentes, São João del-Rei, Prados, Resende Costa e Coronel Xavier Chaves), ao contorno da Serra, a associação hoje conta, em média, com oitenta membros. Como em São João del-Rei já existe uma associação, e não é permitido ter duas numa mesma cidade, eles decidiram criar uma nova em Tiradentes. Os principais trabalhos são as oficinas de cultivo, principalmente em escolas, as exposições e as arrecadações de dinheiro para o auxílio de entidades sociais.

Para o presidente do Núcleo, Luiz Fernando Nascimento, esse evento traz como objetivo principal “não o lucro, mas encontrar associados. Um associado nos traz mais felicidade que o dinheiro. Só aqui na escola, onde fizemos uma oficina, já arrecadamos mais três para a equipe. Isso é importante, pois tiramos as crianças das ruas para realizar algo que é benéfico”, comenta.

TEXTO/VAN: Graziela Silva

Deixe uma resposta