18740706_1122939581184722_5884418794667799988_n

VII Congresso de Engenharia convida alunos a enxergar o futuro

Com duração de cinco dias, palestras e minicursos levaram os alunos de engenharia da UFSJ a desfrutarem da 7ª edição do COEN.

A última semana do mês de agosto levou ao campus Santo Antônio alunos, professores e palestrantes a ampliarem seus conhecimentos sob outra dinâmica. Neste ano, o congresso teve como tema “Qualificação profissional: Seu futuro não se faz em casa, se faz aqui” e trouxe em sua programação diversas palestras, minicursos além de exposições de trabalhos dos próprios alunos. Foram cinco dias de congresso voltados para as Engenharias de produção, mecânica e elétrica. As atividades do encontro aconteciam das 08:00h às 22:00h, sendo necessário pagar uma taxa de 70 reais para participar da semana acadêmica.

 

Bauant Alcides Gauna, um dos avaliadores do evento, formado em Engenharia Industrial e professor da Universidade Nacional de Misiones na Argentina, contou sobre o seu hábito de vir ao Brasil e a satisfação de participar do COEN pela segunda vez. Ressaltou a qualidade dos projetos apresentados e agradeceu a excelente recepção que os brasileiros lhe fornecem. “Tem um nível acadêmico muito alto, estão muito bem encaminhados e estão lhes formando muito bem para fazer o mestrado”, pontua o professor com relação aos trabalhos.

 

Quando questionado das diferenças encontradas entre o ensino argentino e o brasileiro, Gauna não conteve elogios a Universidade Federal de São João del-Rei. Destacou a iniciativa dos minicursos e a eficiência dos alunos em assumir a responsabilidade de produzir os conteúdos apresentados. “Essa iniciativa tem muito valor, é um diferencial para o currículo do profissional”, pontua. Além disso, o engenheiro comentou a respeito da mobilidade que o evento fornece aos alunos. “A pessoa que assiste não só vai ao congresso, mas também pode fazer o seu congresso, escolhendo qual temática lhe interessa”, conclui.

 

O engenheiro comenta sobre a evolução do congresso desde a última vez que compareceu. O número de temáticas e a quantidade de alunos interessados aumentou. Neste mesmo viés, Sérgio Roberto Amaral, engenheiro da Volkswagen e ex aluno da UFSJ, chama atenção para as modificações que a universidade sofreu desde que estudou no campus. “É muito gratificante ver o quanto cresceu essa instituição, a quantidade de alunos que entrou, a quantidade de benefícios que está trazendo para cidade”, pontua o engenheiro destacando a necessidade de se construir uma cadeia de negócios em São João del-Rei.

 

Ademais, Amaral ressalta a importância de iniciativas como essa. “Na minha época, congressos como o COEN eram vistos como perda de aula e não tinham muita adesão dos alunos”, lamenta o engenheiro. O profissional exalta a necessidade desses eventos como oportunidade dos futuros engenheiros enxergarem suas áreas de atuação e entender o que fazer quando graduar.

 

Doutorando em processamento de biomassa e combustível, ficou responsável por ministrar este minicurso. Quando questionado sobre como foi convidado para o evento, o engenheiro pontua o contato entre os ex alunos e seus professores. “ Isso se manteve até hoje, os professores continuam convidando a gente para dar cursos e palestras aqui na Universidade”, agradece Sérgio.

 

Nesta perspectiva Cleiber Luan de Almeida, estudante de engenharia mecânica, reforçou a ideia do COEN auxiliar na visualização do futuro profissional de um engenheiro. “A partir das palestras entendi um pouco mais sobre o que realmente quero”, reforça o estudante ao analisar a busca de novos conhecimentos como um caminho para outras oportunidades. O contato com profissionais da área e com conteúdos que não são abordados nas matérias da graduação, incentivaram Cleiber e outros estudantes a encherem a VII edição do COEN.

 

TEXTO/VAN: Victoria Souza

Colaboração: Yasmin Nascimento

 

Deixe uma resposta